quinta-feira, 23 de outubro de 2014

PSICOTESTE PARA ARRANJAR EMPREGO


Um sujeito está para ser admitido no emprego de uma grande multinacional, com salário excelente. Após vários testes, dinâmicas de grupo e tudo o mais, finalmente chega a última etapa: um psicoteste. Se o candidato se der bem, fica com a tão sonhada vaga.

O psicólogo dirige-se ao candidato e diz:

- Vou lhe aplicar o teste final para sua admissão.

- Perfeito, diz o candidato.

Aí o psicólogo pergunta:

- Você está de noite numa estrada escura e vê ao longe dois faróis emparelhados vindo em sua direção. O que você acha que é?

- Um carro, diz o candidato.

- Um carro é muito vago. Que tipo de carro? Uma BMW, um Audi, um Volkswagen?

- Não dá pra saber, né?

- Hum..., diz o psicólogo, anotando algo nos formulários, e continua: "Vou te fazer uma outra pergunta:"

- Você está na mesma estrada escura e vê, só um farol vindo em sua direção, o que é?

- Uma moto, diz o candidato.

- Sim mas que tipo de moto? Uma Yamaha, uma Honda, uma Suzuki ?

- Sei lá, numa estrada escura, não dá pra saber (já meio nervoso).

- Hum..., diz o psicólogo. Aqui vai a última pergunta:

- Na mesma estrada escura você vê de novo só um farol, menor que o anterior. Você percebe que vem bem mais lento. O que é?

- Uma bicicleta.

- Sim mas que tipo de bicicleta, uma Caloi, uma Monark?

- Não sei.

- Você foi reprovado! - Diz o psicólogo.

Aí o candidato muito triste em perder aquela bela oportunidade, dirige-se ao psicólogo e fala:

- Mesmo eu não sendo aprovado achei interessante esse teste. Posso fazer uma pergunta ao senhor, nessa mesma linha de raciocínio?

E o psicólogo satisfeito responde, claro que pode!

- O senhor está tarde da noite numa rua mal iluminada. Aí vê uma moça com maquiagem carregada, vestidinho vermelho bem curto, girando uma bolsinha, o que é?

- Ah! - diz o psicólogo - é uma puta.

- Sim, mas que puta? Sua irmã? Sua mulher? Ou a puta que te pariu?

Autor desconhecido, com adaptações.


(A imagem acima foi copiada do link Neuro Psico Tech.)

Nenhum comentário: