quinta-feira, 14 de maio de 2009

SOBRE O AMOR

O amor é o sentimento usado para explicar o estado emocional de uma pessoa quando está gostando de outra. Pronto. Falariam assim aqueles que nunca amaram - ou que já sofreram com desilusões amorosas - mas para quem já experimentou dessa maravilhosa sensação, o amor representa muito mais…

O amor está em toda parte, basta se deixar tocar por ele. Está nas nuvens brancas que refletem os primeiros raios de sol. Encontra-se nas flores que desabrocham anunciando mais um dia.


Localiza-se na água, que sacia, lava, destrói, acalma; ou no fogo, que esquenta, consome, renova, alimenta. No voo dos pássaros, que brigam contra o vento; ou no nadar dos peixes, lutando contra a correnteza.


Está no brilho da lua e das estrelas, no brilho dos olhos dos amantes, nas ondas do mar, no cume das montanhas, nas areias escaldantes do deserto, nas florestas, em mim, em ti.


Pode ser sentido: na brisa refrescante que esbarra em nosso rosto e traz consigo o doce cheiro do orvalho da manhã; na fumaça sufocante das nossas cidades poluidas; no hálito da pessoa amada; no aroma saboroso da comida da mamãe; no cheiro de um carro novo; na roupa de uma criança depois do seu primero dia de aula; nos uniformes suados dos operários após mais um dia de expediente.


Pode ser encontrado também em gestos simples como um sorriso, um piscar de olhos, um assobio, um aperto de mãos, um abraço, um beijo, um orgasmo, uma lágrima.


Ele acalma. Preocupa. Conforta. Agita. Alegra. Entristece. Faz rir. Faz chorar. Traz felicidade. Traz desespero. É paciente, mas às vezes não espera. É egoísta, mas também se doa. É divino, mas às vezes peca. Tudo perdoa, mas nunca esquece uma traição. Umas vezes te enriquece; noutras, te deixa na miséria. Aconselha, e também dá bronca.


Muitos já tentaram descrevê-lo. Alguns disseram que já o vivenciaram. Outros, contudo, afirmam veementemente ser o amor fruto da loucura, uma fantasia criada para enganar os tolos.
Então, o que é o amor? Um sentimento? Uma alucinação? Eu nem sei direito o que é o amor. Ele é algo muito complexo. Foge à minha compreensão. Não sou capaz sequer de explicá-lo, tampouco entendê-lo. Eu apenas, e tão somente, amo…



(A imagem acima foi copiada do link Paróquia Universitária São João Evangelista.)