quarta-feira, 30 de setembro de 2009

TARDA, MAS NÃO FALHA

Diretor de cinema é preso na Suiça por crime cometido há 32 anos

O cineasta Roman Polanski foi condenado em 1977, nos Estados Unidos, por manter relações sexuais com uma adolescente de 13 anos. O crime aconteceu após uma sessão de fotografia, na casa do ator Jack Nicholson, em Los Angeles. Antes da sentença sair em 1978 o diretor, que tem nacionalidade francesa e polonesa, fugiu para Europa.

Só que sábado passado - 32 anos após o ocorrido - quando desenbarcou em Zurique, Suíça, para ser homenageado num festival de cinema, Roman foi detido. Os advogados dele alegam que o crime já prescreveu, mas a justiça americana entende que não. Assim, a prisão de Polanski está se tornando uma questão política. Até a secretária de estado americana, Hillary Clinton, já foi consultada. Autoridades francesas e polonesas escreveram a ela para que peça à Suíça para libertar o diretor, e encaminhe um pedido de perdão ao presidente Barack Obama.

O cineasta admitiu que teve, sim, relações sexuais com a menina de 13 anos, mas disse que ela não era mais virgem e fez tudo por conta própria. Ele também negou que tivesse fornecido drogas à garota.

Roman Polanski já dirigiu vários filmes que se tornaram verdadeiros clássicos do cinema, como "O bebê de Rosemary" e “Chinatown”. Concorreu algumas vezes ao Oscar, mas só ganhou a estatueta em 2003, na categoria de melhor direção, com o filme "O pianista".

A acusação de estupro é o segundo drama na vida pessoal de Polanski. O primeiro - e mais traumático - foi em 1969. Na época a mulher dele, a atriz Sharon Tate, foi brutalmente assassinada quando estava grávida de oito meses.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

O FIM DOS DIAS “ENFORCADOS”

Projeto de lei antecipando feriados para a segunda-feira é aprovado

Os famosos dias “enforcados” estão chegando ao fim. A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou na quarta-feira (23-09-09), em caráter conclusivo, o Projeto de Lei 2756/03. O projeto, de autoria do deputado federal Milton Monti (PR-SP), estabelece que todos os feriados que caírem entre as terças e sextas-feiras serão comemorados, por antecipação, nas segundas-feiras.
Dia “enforcado” ou dia “emprensado”, são aqueles dias úteis que, por estarem entre feriados ou fins de semana, acabam se tornando feriado também.
Pela nova regra escapariam os dias: 1º de janeiro (Confraternização Universal), Carnaval e Sexta-Feira Santa (festas móveis), 7 de setembro (Independência) e 25 de dezembro (Natal). Também pelo projeto, existindo mais de um feriado durante uma semana, o segundo passará para a segunda-feira da semana seguinte. Agora, a matéria será encaminhada ao Senado Federal. Se aprovada, vai à sanção do presidente Lula, que pode, ainda, aprovar ou vetar.
Milton Monti justificou o projeto afirmando que os feriados no meio da semana causam transtornos e prejuízos à economia do país, em especial ao comércio. Acertou em cheio, só esqueceu de mencionar os prejuízos na educação pública.
Interessante seria se fossem abolidos uma dúzia de outros feriados - nacionais, estaduais e municipais - que não servem para nada. Apenas esteriotipam a nós, brasileiros, como povo preguiçoso e que arranja qualquer desculpa para não trabalhar.
Se a ideia vai dar certo ou não, só o tempo vai dizer. Restam três meses para o fim do ano e ainda teremos pela frente três feriados nacionais - sem contar os dias santos…

sábado, 26 de setembro de 2009

''SEQUESTRO''


Documentário mostrará o dia a dia dos policiais que combatem esse crime

Estreou nessa sexta (25-09-09), no Festival de Cinema do Rio de Janeiro, o documentário 'Sequestro'. Produzido pelo diretor Wolney Atalla e sua equipe, o longa-metragem tem 96 minutos de duração e promete ser um grande sucesso de público - além de causar muita polêmica como o filme Tropa de Elite. O documentário mostra a angustiante realidade dos familiares de vítimas de sequestro, e o trabalho dos policiais nas operações de resgate. Foi resultado de quatro anos de filmagens acompanhando a Divisão Anti-Sequestro, da polícia civil de São Paulo.
As cenas são reais. Os relatos e todos os personagens envolvidos, também. A história é chocante. No diálogo, entre bandidos e a família da vítima, nota-se a chantagem emocional que os primeiros fazem. Há momentos em que os criminosos prometem mutilar as vítimas e mandar as partes para os familiares, como prova de que os reféns estão vivos. Em outra parte do longa-metragem, os policiais orientam as familias dos desaparecidos nas negociações com os sequestradores, trabalhando como verdadeiros psicólogos e ajudando a manter a calma.
O momento mais emocionante do documentário é, sem dúvida, quando os investigadores invadem um cativeiro e conseguem resgatar uma menina de apenas seis anos. É quase impossível não se sensibilizar com a cena. A garota, retirada debaixo de uma cama, estava em estado de choque. O agente fala que é da polícia, que está tudo bem e a levará para casa. A menininha, abraça o policial e começa a chorar.
Numa entrevista na TV, Wolney disse que o período em que esteve filmando junto com os policiais paulistas foi muito angustiante. Tanto é que, concluído o trabalho, alguns membros da equipe do diretor se mudaram de São Paulo. Eles ficaram muito impressionados com a atmosfera de violência e sentiram-se abalados psicologicamente com tudo aquilo. A equipe de filmagens conviveu com esse clima de medo, tensão, violência e pavor, apenas durante quatro anos (de 2006 até 2009), e já ficou traumatizada. Imagine como deve ser a vida dos policiais que convivem 24 horas por dia com essa rotina de pânico.
O que motiva, então, um policial largar o conforto de casa e colocar em risco a sua segurança e da família para ajudar pessoas que nem conhece? Mesmo sabendo que vai ganhar pouco; que nem sempre terá seu trabalho reconhecido; e ainda sofrerá críticas de pseudo defensores dos direitos humanos?
A função do policial é servir e proteger a sociedade, mesmo com o sacrifício da própria vida. Essa, parece ser uma atitude meio ultrapassada na sociedade hipócrita em que vivemos. Mas ainda desempenhada com determinação e coragem por heróis que se abnegam da vida pessoal para ajudar ao próximo.
Parece loucura, mas a maior recompensa para quem liberta uma vítima de sequestro, é voltar para junto de sua família com a satisfação do dever cumprido, e saber que fez a diferença na vida daquela pessoa. Não há palavras capazes de descrever isso. Só quem é policial sabe…

(As imagens que ilustram esse texto foram copiadas do link Visual Net.)

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

A ORIGEM DO RISQUINHO NO NUMERO 7


Até os dias de hoje, muita gente quando escreve o número 7 costuma colocar um pequeno tracinho horizontal cortando esse algarismo. Oficialmente, este pequeno traço não existe. Podemos constatar isso digitando a tecla 7 do teclado do computador, da calculadora ou de qualquer outro aparelho que possua teclado.
Então, qual a origem desse costume tão peculiar?
Para responder a esse mistério, temos que voltar muitos séculos atrás. Aos tempos bíblicos. Mais precisamente aos tempos do profeta Moisés. O livro do Êxodo conta que Móisés estava no Monte Sinai e Deus lhe ditou os 10 mandamentos.
Ao descer do monte, o profeta foi anunciando em voz alta, um por um, os mandamentos à multidão. Quando chegou no mandamento sete, Moisés disse: 'Não desejarás a mulher do próximo!' Houve um breve silêncio... E a multidão rompeu, gritando em coro:
-Risca o sete, risca o sete!!!
Pode não ser a explicação verdadeira para o "risquinho", mas é a mais engraçada...

(Esse texto é uma adaptação de outro que me foi enviado por e-mail. Se você é o autor do texto original, entre em contato comigo para receber os créditos. A ilustração presente no texto foi copiada do link Images google.)

sábado, 19 de setembro de 2009

COITADO DO MARADONA…


Técnico da Argentina tem brincos apreendidos para pagamento de dívida

Dizem que uma desgraça nunca vem sozinha. Diego Armando Maradona que o diga. O técnico da seleção argentina de futebol masculino não está passando por uma fase boa. Nas eliminatórias para a copa de 2010 na África do Sul, o time dos hermanos está amargando um vergonhoso quinto lugar na tabela - e pode cair mais. Com isso, se quiser participar do próximo mundial, a Argentina terá de vencer um time da Oceania na repescagem.
Para piorar a situação do técnico, ele teve apreendidos hoje, dois brincos para pagamento de dívidas. Os objetos, feitos de diamantes, estavam avaliados em 4 mil euros, algo em torno de R$ 10,6 mil.
A apreensão foi realizada pela polícia fiscal italiana e agentes da Receita Federal do país. De acordo com a Equitalia (agência de arrecadação de impostos da Itália), a medida foi tomada como parte do processo de recuperação do dinheiro que Maradona deve ao fisco italiano. Segundo uma sentença do Supremo Tribunal Italiano, de fevereiro de 2005, o argentino deve aos cofres públicos italianos mais de 35 milhões de euros (R$ 92,9 milhões).
Esse dinheiro, segundo a imprensa local, é devido à falta de pagamento de imposto de renda durante a segunda metade da década de 80, época em que Dieguito jogava no Napoli. A quantia aumenta três mil euros (R$ 8 mil) por dia só de juros. O ex-jogador - que está na Itália fazendo tratamento em uma clínica de emagrecimento - já teve confiscados objetos de valor em outras ocasiões: em 2005, parte dos 78,5 mil euros (R$ 208,5 mil) que recebeu por participar de um programa do canal de televisão RAI foram tomados; em 2006, um relógio Rolex avaliado em 11 mil euros (R$ 29,2 mil).
A Equitalia já anunciou que vai cobrar Maradona sempre que ele for ao país. Sendo assim, só restam três saídas para ele: pagar a dívida; não visitar mais a Itália; ou, quando visitar, não dá uma de bossal aparecendo em público com objetos valiosos.

(A foto que ilustra esse texto foi copiada do link MSN Esportes.)

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

O ADVOGADO E O PASTOR DE OVELHAS

Texto que dedico ao meu amigo Sammy


Um pastor de ovelhas, já idoso, estava cuidando de seu rebanho, quando surgiu pelo inóspito caminho uma Pajero 4x4 toda equipada. O carro parou na frente do velhinho e desceu um cara de não mais que 30 anos. O homem usava terno preto, camisa branca Hugo Boss, gravata italiana, sapatos de couro de búfalo, óculos escuros, relógio Rolex, e portava uma maleta executiva preta na mão direita. Perguntou ao pastor:
- Senhor, se eu adivinhar quantas ovelhas tem aqui, o senhor me dá uma?
O velhinho, coça a cabeça meio desconfiado e responde:
- Sim, doutor.
Então o cara abre a maleta, pega um notebook, se conecta - via celular - à internet, baixa uma base de dados, entra no site da NASA, identifica a área do rebanho por satélite, calcula a média histórica do tamanho de uma ovelha daquela raça, baixa
uma tabela do Excel com execução de macros personalizadas, pesquisa a média de quantos centímetros o capim do pasto cresce por ano, faz um gráfico com a variabilidade pluviométrica da região, etc, etc, etc. Depois de três horas, diz orgulhoso ao velho:
- O senhor tem exatamente 1.324 ovelhas, 54 bodes e 65 cabritinhos. Ah, sete de suas ovelhas estão com 95% de estarem grávidas.
Impressionado e boquiaberto, o velhinho admitiu que sim. O homem estava certo, e como havia prometido, poderia levar a ovelha.
O cara escolheu um animal, pegou o bicho no colo e carregou para o veículo. Quando estava saindo, o velho perguntou:
- Desculpe, agora é minha vez. Se eu adivinhar sua profissão, o senhor me devolve a ovelha e me presenteia com seus óculos?
Duvidando que aquele humilde homem do campo acertasse, o cara concorda.
- O senhor é advogado ?!?! indaga o velhinho...
- Incrível! Como adivinhou? pergunta espantado o doutor.
- Por quatro motivos:
- Primeiro, pela frescura;
- Segundo, veio sem que eu o chamasse;
- Terceiro, me cobrou para dizer algo que já sabia.
- E quarto, percebe-se que o doutor não entende merda nenhuma do que está falando. Devolve já o meu CACHORRO!!!!

(Esse texto foi baseado numa história que uma amiga me enviou por e-mail. Se você conhecer o autor do texto original, peça que entre em contato comigo para receber os créditos pelo trabalho. A foto que ilustra esse texto foi copiada do link 4.bp.)

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

UMA DATA INESQUECÍVEL


Por que o dia 17 de setembro deve ser lembrado

O dia 17 de setembro é uma data importante. Você sabia disso? Vejamos que fatos marcantes aconteceram nesse dia.

Foi no dia 17 de setembro de 1787 a assinatura da Constituição dos Estados Unidos da América . Isso mesmo. Há exatos 222 anos, a nação símbolo do capitalismo e única potência militar e econômica da atualidade, assinava sua lei fundamental.

Discutida e aprovada pela Convenção Constitucional de Filadélfia, Pensilvânia, a Carta Magna dos estadunidenses continua a mesma até hoje. Sofreu apenas 27 emendas constitucionais em mais de duzentos anos de existência.

Outro evento importante também acontecido num 17 de setembro foram os Acordos de Paz de Camp David. Negociados na casa de campo do presidente dos EUA, em Maryland (daí a origem do nome), os acordos de paz continham disposições de como seria encaminhada a questão palestina. Tendo o presidente norte-americano, Jimmy Carter, como mediador, os tratados foram assinados na Casa Branca por Anwar Sadat (presidente do Egito), e por Menachem Begin (Primeiro-Ministro de Israel) em 17 de Setembro de 1978. Os acordos, que hoje completam 31 anos de existência, foram concebidos com o intuito de apaziguar os ânimos no oriente médio. Ânimos esses, exaltados com a criação do Estado de Israel em 1948. Infelizmente, os tratados não surtiram efeito. Até hoje aquela região vive dilacerada por décadas de conflitos entre árabes e israelenses. Mas essa é outra história…

O dia de hoje é importante porque é aniversário de uma pessoa especial. Sabe quem é o aniversariante?

Fernando Gabeira! Político, jornalista e escritor brasileiro, ele completa hoje 68 anos de vida. Mas não é dele que estou falando. Hoje é aniversário de alguém que trabalha com jornalismo. Essa pessoa é…

Fatima Bernardes?! A jornalista carioca, apresentadora do Jornal Nacional, completa hoje 47 aninhos. Parabéns para ela, mas ainda não é dela que estou falando. Vou dar a última dica. A pessoa que está soprando velinhas hoje é homem, nasceu num estado da região Nordeste e tenho certeza que você o conhece. Ele se chama…

Frank Aguiar! O cantor de forró e político (sim, ele entrou para a política) completa hoje 39 anos de idade. Que ele tenha paz e muitos anos de vida. Mas a pessoa que está somando mais uma translação hoje não é nenhum dos que foram acima mencionados. Pense bem...


O dia de hoje é importante porque há exatos 24 anos nascia, em Aracoiaba, cidade no sertão do Ceará, o filho da dona Maria e do seu André - que Deus os tenha. Um garoto bonito, forte, inteligente e bochechudo, que sonha em ser escritor.

E agora, adivinhou quem é?

(A foto dos fogos de artifício que ilustra esse texto foi copiada do link Imagens Google; as fotos de Fernando Gabeira, Fátima Bernardes e Frank Aguiar foram copiadas do link Aniversariantes.)

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

A CULPA, DE NOVO, RECAI SOBRE A POLÍCIA



Jornalistas são atingidos por disparos no Rio. Adivinha quem levou a culpa…

Dois cinegrafistas, um da emissora Bandeirantes e o outro da Rede Record, foram atingidos por estilhaços na troca de tiros entre policiais e traficantes na manhã dessa quarta-feira, na cidade do Rio de Janeiro. O profissional da Band ficou com ferimentos num dos braços, e o da Record, num dos joelhos.

A imprensa fazia a cobertura de uma operação realizada por policiais do 9º BPM (Rocha Miranda), no Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, no subúrbio do Rio. A PM já havia encerrado os trabalhos e colocava no carro do Instituto Médico Legal (IML) o corpo de um dos quatro traficantes mortos na troca de tiros. Foi quando ouviu-se um estampido e, em seguida, os gemidos de dor dos cinegrafistas. Um PM também foi baleado.

Quase que instantaneamente atribuiu-se a culpa pelo incidente a uma ação desastrada de um dos policiais participantes da operação, que havia disparado, sem querer, o fuzil que manejava.

A imprensa se precipitou na apuração de um fato e já foi encontrando um culpado: a POLÍCIA. Desmereceu a brilhante operação da polícia militar do Rio, que fez uma incursão na comunidade do Juramento, pôs fim a um conflito entre facções rivais, apreendeu 03 fuzis, 02 escopetas calibre 12, 01 pistola 9mm, 01 bolsa com farta munição, drogas, 01 bomba de fabricação caseira e ainda matou quatro traficantes. Tudo isso sem ferir nenhum morador inocente.

Alguns veículos de comunicação deram mais ênfase ao acontecido com os dois cinegrafistas e se esqueceram de repassar a notícia principal: o trabalho bem feito pela polícia. Esses mesmos veículos - alguns - também esqueceram de dizer que um PM foi ferido. Será que esse policial não é gente?

Para mim, isso não é nenhuma novidade. Talvez eu não tenha a autoridade para falar como jornalista, pois ainda faço o 5° período desse curso. Mas como policial militar estou acostumado a ouvir críticas ao trabalho da corporação. Defeitos - onde não existem - apontados por idiotas que se dizem jornalistas, são coisas tão banais que eu já nem ligo.

No nosso país criou-se o esteriótipo (amplamente divulgado pela mídia) que TODO policial é bandido, corrupto ou coisas do tipo. São raras as reportagens noticiando casos onde as polícias militar, civil ou federal, atuam de forma decente e cumprem seu papel. 

Não sei a quem interessa macular a imagem dessas instituições que foram criadas para servir e proteger a sociedade. Não sei por que a imprensa no Brasil ataca tão veementemente as polícias. Só sei que nós, cidadãos ou policiais, devemos fazer algo para mudar isso.

(A foto que ilustra esse texto foi copiada do link Video.globo.)

terça-feira, 15 de setembro de 2009

ADEUS AO ÍDOLO

Patrick Swayze, Whoopi Goldberg e Demi Moore: personagens do filme Ghost — do Outro Lado da Vida  

Morreu ontem, vítima de câncer de pâncreas, o ator estadunidense Patrick Swayze. Nascido em Houston (Texas), no dia 18 de agosto de 1952, Patrick começou sua carreira como bailarino clássico. Interrompeu a dança devido a problemas recorrentes de lesões originadas durante a juventude, quando jogava futebol Americano, e priorizou a carreira de ator. No cinema, foi ídolo durante as décadas de 80 e 90.

Dentre os vários filmes em que atuou, estão Dirty Dancing — Ritmo Quente (1987) e Ghost — do Outro Lado da Vida (1990), sendo, em ambos, indicado ao Globo de Ouro de melhor ator em comédia ou musical.

Swayze travava uma batalha de quase dois anos contra um câncer no pâncreas e faleceu, junto da família, aos 57 anos de idade. Seu último trabalho foi na série The Beast, interpretando Charles Barker, um agente do FBI.
Demi Moore e Swayze em cena de Ghost - do Outro Lado da Vida: um amor que superou até a morte.

Swayze e Jennifer Grey no filme Dirty Dancing - Ritmo Quente: esta cena marcou época e, até hoje, faz muita gente se apaixonar. 



(As duas primeiras imagens que ilustram esse texto foram copiadas do link Imagens.google; a terceira foi copiada do link Oficina de Ideias 54.)

DÉJÀ VU


Novela nova, histórias antigas

Déjà vu é uma expressão da língua francesa que significa, literalmente, já visto. Aquela sensação estranha de já ter vivenciado algo, ou de haver estado antes em algum lugar, isso é um déjà vu.
Eu tive um dèjá vu hoje ao assistir trechos do primeiro capítulo da nova novela das 8 - que nunca começa às oito - daquela emissora do Jardim Botânico. Não sou fã de novelas, mas como dizem que os melhores capítulos sempre são o primeiro e o último, resolvi dar uma conferida. Sabem o que eu vi? As mesmas histórias, as mesmas caras, o de sempre…

Brigas entre amigos, desavenças na família, traições, adultérios, incentivo ao consumismo, banalização do sexo. Nem preciso acompanhar o folhetim para saber que os casais que se formam no início da novela, irão brigar no decorrer da trama e terminarão juntos. Não preciso perder meu tempo vendo os episódios, pois o roteiro é o mesmo, só mudam os personagens.

Uma vez escutei uma conhecida roteirista dizer que escrevia novelas que imitavam a vida. Disse isso porque, segundo ela, as pessoas adoravam ver cenas da “vida real” na TV e até se identificavam com essas coisas.

Engraçado, nunca vi uma novela retratando a vida daqueles que acordam cedo e pegam transporte lotado. Ou de quem padece nos hospitais públicos, sempre lotados. Ou, ainda, de gente que recebe salário-mínimo mas sobrevive dignamente.

O que as novelas retratam então?

Um mundo de sonhos e fantasias muito aquém da nossa realidade. Elas nos ditam modas, estilos de vida e influenciam nossos hábitos de consumo. Nos interessamos mais em saber quem está pegando quem na novela do que com assuntos mais sérios, tais como: política, educação, emprego e até nossa vida pessoal.

As novelas estão de tal forma arraigadas na nossa cultura terceiro-mundista, que já traspassaram os limites da sala de estar e agora se fazem presentes até nas rodas de amigos. Isso mesmo, se você não souber quem é o novo amante da mocinha da novela das oito, você não é ninguém.

Acompanhar novelas é um fenômeno cultural típico de países pobres e carentes em educação. Não estou querendo dizer que uma coisa tem a ver com outra, mas em nações mais adiantadas economicamente e educacionalmente que a nossa, as pessoas não perdem tempo vendo essas futilidades. Se preocupam mais em ingressar na faculdade, ter uma carreira brilhante e ser um profissional de sucesso. Aqui, aprendemos com as novelas que, a mulher deve tomar o marido da amiga, ou, se casar com um “bofe” rico; e o homem, que deve viver na malandragem, sem se preocupar em trabalhar.

Contudo, não adianta falar mal de novelas, ninguém vai deixar de assistir. Isso se justifica por um motivo bem simples: é melhor esquecer os problemas da vida real e acompanhar as futilidades da TV - mesmo que a novela sempre repita as mesmas histórias.


(A foto que ilustra esse texto foi copiada do link Clicrbs.com.)

domingo, 13 de setembro de 2009

DESSA VEZ VAI?


Rio de Janeiro pode ser a sede dos Jogos Olímpicos de 2016

No próximo dia 02 de outubro, em Copenhague (Dinamarca), será feita a escolha da cidade sede dos Jogos Olímpicos de 2016. A votação, realizada entre os delegados do Comitê Olímpico Internacional (COI), possui quatro cidades na disputa: Rio de Janeiro (Brasil), Tóquio (Japão), Chicago (Estados Unidos) e Madri (Espanha).
Das concorrentes, a que se saiu melhor no relatório divulgado pelos delegados do COI no dia 02 deste mês foi a cidade do Rio. O relatório destacou três pontos positivos a favor da candidatura carioca: o legado dos jogos Pan Americanos para a cidade, o apoio da população, e a integração dos governos Federal, Estadual e Municipal no projeto olímpico. Outro aspecto ressaltado no relatório foi a intenção do Rio de usar o evento como ferramenta de transformação e inclusão social.
A cidade de Tóquio perdeu pontos pela falta de apoio popular aos jogos; Chicago teve como aspectos negativos o orçamento muito elevado e problemas com o trânsito; já o que está atrapalhando a candidatura de Madri é a falta de clareza da legislação espanhola sobre a lei antidoping.
Em 2004, o Rio de Janeiro também foi candidata a sede dos jogos olímpicos, mas perdeu para Atenas (Grécia). Se for escolhida, a despesa com o evento ficará em torno de R$ 5,3 bilhões. Vale a pena? O tempo dirá.
Entretanto, um evento dessa magnitude em nosso país vai alavancar a prática de novas modalidades esportivas, descobrindo novos talentos e ajudando como ferramenta de transformação social. E isso, caros leitores, não tem preço.

(A imagem que ilustra esse texto foi copiada do link Google Imagens.)

sábado, 12 de setembro de 2009

11 DE SETEMBRO


Há oito anos os EUA descobriam ser uma nação vulnerável

Na manhã do dia 11 de setembro de 2001 quatro aviões de passageiros foram sequestrados nos Estados Unidos. Pertenciam às empresas norte-americanas American Airlines e United Airlines e acabaram sendo utilizados numa modalidade de crime até então desconhecida.

As aeronaves foram tomadas por terroristas suicidas, que as empregaram em alvos civis como armas de ataque. Os alvos: as Torres Gêmeas do complexo de edifícios do World Trade Center, em Manhattan, Nova York, e o Pentágono, no Condado de Arlington, Virgínia. Um quarto avião, que supostamente atingiria o Capitólio (Congresso Norte-Americano), caiu em campo aberto próximo de Shanksville, Pensilvânia.

Os ataques, coordenados pela organização terrorista Al-Qaeda, liderada por Osama Bin Laden, provocaram a morte de 3234 pessoas e entraram para a história como o maior atentado terrorista em número de vítimas fatais. Algo ainda sem precedentes em toda a história da humanidade.

Contudo, o maior estrago desse incidente não foi apenas o grande número de vítimas, e sim o impacto psicológico nas pessoas. Pela primeira vez o povo estadunidense se tomou conta de que seus sofisticados sistemas de defesa eram ineficazes. Nem as respeitadas agências de serviço secreto, FBI e CIA, conseguiram evitar o ataque, que foi orquestrado, em grande parte, dentro das fronteiras do país. A grande nação do norte, detentora do maior poderio bélico e econômico do mundo, percebeu que era vulnerável. Estava desprotegida. E teve justamente os ícones do seu poder atingidos: o World Trade Center, símbolo do capitalismo norte-americano; e o Pentágono, ícone da tradição beligerante da terra do Tio San.

Os terroristas do Taleban - grupo que assumiu a autoria do atentado - conseguiram seu intento: levar medo e pavor aos cidadãos norte-americanos, que até hoje se sentem inseguros por causa dos eventos ocorridos naquela fatídica manhã de 11 de setembro.

Já o governo daquela nação (na época presidida por George W. Bush), teve seu orgulho profundamente ferido e percebeu, tardiamente, que nem a tecnologia mais avançada do mundo pode deixá-los cem porcento seguros.

(A imagem que ilustra esse texto foi copiada do link Revista na Web.)

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

FELIZ ANIVERSÁRIO, PRIMA

Sábado passado (05-09-09), Célia Melo completou mais uma primavera. Por essa razão, em nome dos meus outros onze irmãos e não sei quantos mais sobrinhos e demais familiares, gostaria de desejar à minha prima querida FELIZ ANIVERSÁRIO.

Desejamos muita paz, saúde, felicidade, fortuna, alegria, amor, e que esse dia se repita por muitos e muitos anos.

A data passou mas a gente não esqueceu de você.

Pedimos desculpas pelas raivas, dores-de-cabeça, sono interrompido e preocupações que lhe causamos.

Agradecemos pelos bons conselhos, pela atenção, paciência e momentos de descontração que tem nos proporcionado.

Enfim, que Deus abençôe nossa psicóloga preferida e que ela continue sendo essa pessoa especial e maravilhosa que a cada dia nos encanta mais.

(Vou ficar devendo uma fotografia da festa de aniversário.)


(A imagem acima foi copiada do link Google Images.)

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

AOS QUE ACREDITAM NO JORNAL NACIONAL

No dia 1º de setembro de 1969, com apresentação de Hilton Gomes e Cid Moreira, entrava no ar o Jornal Nacional. Há várias semanas, a rede Globo, emissora onde é exibido o telejornal, vem mostrando propagandas alusivas ao aniversário. Muitas reportagens históricas e repórteres que passaram pelo programa serão exibidos entre os dias 31-08 e 05-09-09.
Hoje, 40 anos após sua primeira exibição, o JN continua sendo a principal fonte de informação para milhões de brasileiros. Mas será que o conteúdo lá exibido é realmente imparcial? Ou seria manipulado de acordo com os interesses de um grupo? Será que a empresa dona do telejornal apresenta reportagens isentas, livres de qualquer propaganda de cunho ideológico ou partidário?
Na série de reportagens especiais exibidas no programa ultimamente, o JN fez questão de mostrar notícias importantes, dadas em primeira mão, e reportagens investigativas. Porém não mostrou os casos em que esteve envolvido em polêmicas. Vamos a eles.
Na cobertura das eleições para o governo do Rio de Janeiro em 1982 o programa foi acusado de participar de uma tentativa de fraude. As Organizações Globo, dona do telejornal, eram contra um dos candidatos, Leonel Brizola. Este, um político historicamente perseguido pela emissora de Roberto Marinho, sempre esteve à frente nas pesquisas eleitorais. Contudo, o JN divulgava apenas dados desvantajosos para Leonel. O pleito chegou ao fim, Brizola venceu, e ainda conseguiu na justiça que o JN apresentasse seu direito de resposta, defendendo-se dos ataques feitos pela Globo.
Em 1984, durante a campanha das Diretas Já, o Jornal Nacional omitiu informações sobre essa mobilização. Num importante comício na Praça da Sé, em São Paulo, o telejornal exibiu a manifestação como sendo uma festa comemorativa pelo aniversário da cidade. No fim das contas, a ditadura saiu de cena e a Globo teve que engolir a democracia.
Como não conseguiu derrotar a democracia, a emissora dos Marinhos tentou manipular a opinião pública: em 1989 o Jornal Nacional exibiu, dias antes das eleições, trechos editados do debate presidencial. Os trechos foram favoráveis a Fernando Collor - mostravam as melhores cenas - e desfavoráveis a Luiz Inácio Lula da Silva - exibiam os piores momentos. Collor venceu o segundo turno das eleições e, deu no que deu…
Até com ex-funcionários o JN parece ser omisso. Nesta semana dos quarenta anos de exibição, o telejornal fez questão de convidar repórteres que fizeram a história do programa. Mas esqueceu de convocar gente como Marcos Hummel, Eliakim Araújo, Fernando Vanucci, Carlos Nascimento, Ana Paula Padrão, e Paulo Henrique Amorim. Todos eles passaram pelo Jornal Nacional mas hoje trabalham em emissoras concorrentes da Globo. Por esse motivo, não participam da festa.
Dizem que se uma mentira é repetida durante muito tempo passa a ser aceita como verdade. Hoje, às 20h15, William Bonner e Fátima Bernardes apresentarão um telejornal que há quatro décadas se diz imparcial e de credibilidade… Será verdade? O pior é que, depois de tanto tempo, parece que os brasileiros estão começando a acreditar que sim.

(A ilustração presente nesse texto foi copiada do link Jornal Nacional.)

PARABÉNS, JAQUELINE


Ex-jogadora brasileira de vôlei de praia ganha prêmio na sede da UNESCO

Jaqueline Silva ganhou nesta terça-feira, 01-09-09, em Paris, França, o título de Campeã da Unesco pelo Esporte. O prêmio, dado pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), é um reconhecimento aos atletas de ponta que promovem a inclusão social de jovens por meio do esporte.
Para se ter uma ideia da importância dessa premiação, apenas onze atletas em todo o mundo já receberam tal honraria - aqui no Brasil, só Pelé.
Jaqueline, fazendo dupla no vôlei de praia com Sandra Pires, foi a primeira mulher brasileira a conquistar uma medalha de ouro olímpica. O feito aconteceu nas olimpíadas de Atlanta (EUA) em 1996.
Atualmente, Jaqueline coordena o projeto "Atletas Inteligentes", que é desenvolvido na Praia de Ipanema e ensina os fundamentos do vôlei de praia para 70 jovens de 12 a 20 anos. Para participar, o aluno deve estar matriculado na escola ou faculdade. O objetivo do "Atletas Inteligentes", além de revelar novos talentos para o esporte, é promover a integração e inclusão sociais.
O prêmio da UNESCO para Jaqueline Silva é merecido. Em vez de gastar tempo e dinheiro com vícios, farras ou se envolvendo em escândalos, essa atleta-cidadã se preocupa em dar um futuro melhor para nossa juventude. Bom seria se outros desportistas brasileiros seguissem o exemplo dela…

(A foto que ilustra esse texto foi copiada do link Tinypic.)

terça-feira, 1 de setembro de 2009

DOZE ANOS SEM DIANA


Mesmo depois de sua morte, Diana continua viva como exemplo de caridade e amor ao próximo

Apelidada pelo ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair de "Princesa do Povo", Diana Frances Spencer morreu num acidente automobilístico no túnel da Ponte de l'Alma, em Paris, França, no dia 31 de agosto de 1997. Com ela estavam o namorado, Dodi Al-Fayed, o motorista Henri Paul e o guarda-costas Trevor Rees-Jones - único sobrevivente. A Mercedes-Benz S280 sedan, de propriedade de Dodi, tentava despistar os fotógrafos paparazzi quando bateu em alta velocidade num dos pilares do túnel. Chegou-se a cogitar que Diana estivesse sendo vítima de uma conspiração, mas investigadores franceses e britânicos concluíram que o motorista da Mercedes estava sob efeito de bebida alcoólica.
Lady Di (Leide Dai) como também era chamada, casou-se com o herdeiro do trono inglês, Príncipe Charles, em 1981. Tiveram dois filhos, os príncipes William e Harry. O casamento terminou em 1996, após inúmeros escândalos envolvendo tanto Diana como Charles.
Graças à essa união, a Princesa de Gales, tornou-se uma das mulheres mais famosas do mundo. Fotografada aonde quer que fosse, ela aproveitou sua fama e prestigio mundiais em favor de projetos humanitários.
Em abril de 1987, se tornou a primeira grande celebridade a ser fotografada tocando uma pessoa infectada com o vírus HIV. Ela sentou-se na cama onde deitava um aidético e segurou-lhe a mão. Com isso contribuiu para quebrar o preconceito em relação às pessoas infectadas com AIDS. Como voluntária do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, Lady Di visitou alguns países numa campanha internacional contra minas terrestres. Esteve, por exemplo, em Angola e na Bósnia visitando sobreviventes de explosões dessas minas em hospitais da região.
Sua morte repentina - só tinha 36 anos - causou comoção internacional. Seu enterro foi acompanhado por mais de dois bilhões de pessoas em todo o mundo. Hoje, doze anos após seu falecimento, ela continua encantando e conquistando admiradores ao redor do globo.
Símbolo de beleza e elegância femininas, a Princesa Diana viveu o que se pode chamar de um conto de fadas moderno. De desconhecida professora do jardim de infância conseguiu chegar à realeza. Mas não esqueceu, contudo, que mesmo uma princesa deve ajudar a melhorar a realidade dos seus súditos.

(A foto que ilustra esse texto foi copiada do link Memory of Princess Diana.)