quarta-feira, 16 de setembro de 2009

A CULPA, DE NOVO, RECAI SOBRE A POLÍCIA



Jornalistas são atingidos por disparos no Rio. Adivinha quem levou a culpa…

Dois cinegrafistas, um da emissora Bandeirantes e o outro da Rede Record, foram atingidos por estilhaços na troca de tiros entre policiais e traficantes na manhã dessa quarta-feira, na cidade do Rio de Janeiro. O profissional da Band ficou com ferimentos num dos braços, e o da Record, num dos joelhos.

A imprensa fazia a cobertura de uma operação realizada por policiais do 9º BPM (Rocha Miranda), no Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, no subúrbio do Rio. A PM já havia encerrado os trabalhos e colocava no carro do Instituto Médico Legal (IML) o corpo de um dos quatro traficantes mortos na troca de tiros. Foi quando ouviu-se um estampido e, em seguida, os gemidos de dor dos cinegrafistas. Um PM também foi baleado.

Quase que instantaneamente atribuiu-se a culpa pelo incidente a uma ação desastrada de um dos policiais participantes da operação, que havia disparado, sem querer, o fuzil que manejava.

A imprensa se precipitou na apuração de um fato e já foi encontrando um culpado: a POLÍCIA. Desmereceu a brilhante operação da polícia militar do Rio, que fez uma incursão na comunidade do Juramento, pôs fim a um conflito entre facções rivais, apreendeu 03 fuzis, 02 escopetas calibre 12, 01 pistola 9mm, 01 bolsa com farta munição, drogas, 01 bomba de fabricação caseira e ainda matou quatro traficantes. Tudo isso sem ferir nenhum morador inocente.

Alguns veículos de comunicação deram mais ênfase ao acontecido com os dois cinegrafistas e se esqueceram de repassar a notícia principal: o trabalho bem feito pela polícia. Esses mesmos veículos - alguns - também esqueceram de dizer que um PM foi ferido. Será que esse policial não é gente?

Para mim, isso não é nenhuma novidade. Talvez eu não tenha a autoridade para falar como jornalista, pois ainda faço o 5° período desse curso. Mas como policial militar estou acostumado a ouvir críticas ao trabalho da corporação. Defeitos - onde não existem - apontados por idiotas que se dizem jornalistas, são coisas tão banais que eu já nem ligo.

No nosso país criou-se o esteriótipo (amplamente divulgado pela mídia) que TODO policial é bandido, corrupto ou coisas do tipo. São raras as reportagens noticiando casos onde as polícias militar, civil ou federal, atuam de forma decente e cumprem seu papel. 

Não sei a quem interessa macular a imagem dessas instituições que foram criadas para servir e proteger a sociedade. Não sei por que a imprensa no Brasil ataca tão veementemente as polícias. Só sei que nós, cidadãos ou policiais, devemos fazer algo para mudar isso.

(A foto que ilustra esse texto foi copiada do link Video.globo.)

3 comentários:

Alvaniza disse...

Bom ter alguém que defenda a classe. Lamentável que são poucos os que fazem isto. Por consequência cria-se o mito de que o policial seja um corrupto e um inconsequente nas atribuições de suas funções.

roberto disse...

Infelismente existe joias raras na corporação, mas a culpa tambem é do cidadão. Afinal é ele que oferece certa quantia quando está de forma irregular. "Só existe o corrupto quando há o corruptor"

WILDSON disse...

LIGA NÃO PRAÇA, MAS SÓ UMA PERGUNTINHA? o que diabos um reporte vai fazer na linde frente de uma guerra, pois nós sabemos que, apartir da hora que vc vai confrontar com o crime, vc pode tanto obter exito, como morrer em combate, eles estão pensando que essa PORA é filme americano, é bom pra eles verem que aqui é realmente para os fortes. SELVA!