quarta-feira, 30 de maio de 2012

POSSO PREENCHER UM CHEQUE COM UMA CANETA DE QUALQUER COR?

Sim, pelo menos para cheques da Caixa Econômica Federal. Não há impedimento na utilização de tintas de qualquer que seja a cor para o preenchimento de cheques da instituição. Agora, o que o cliente deve atentar é que as tintas AZUL ou PRETA dão mais legibilidade no processo de microfilmagem (cópia) e no próprio manuseio da folha de cheque.


Uma cor que não uma das duas citadas anteriormente pode dificultar a leitura das informações contidas nesse documento de crédito. E na correria diária de uma agência bancária, o funcionário nem sempre terá tempo para 'decifrar' o que está escrito no cheque e esse, muito provavelmente, voltará pelos motivos 22 (divergência ou insuficiência de assinatura) ou 31 (erro formal).

Outra coisa que o cliente também deve ter cuidado é na hora do preenchimento. O cheque pode até conter erros de português na informação do valor por extenso, mas a inscrição deve ser feita, de preferência, com LETRA DE FORMA - aquela toda maiúscula. Tem gente que escreve uma letra inelegível, pior que a de médico... Como dito anteriormente, o funcionário não tem tempo de decifrar o que está rabiscado na folha de cheque. Em caso de dúvidas nas informações contidas no cheque, o funcionário adota como procedimento padrão o não recebimento do documento. O cheque volta.

Portanto, caro leitor/cliente, você que passa muitos cheques, atente para isso. Cheque não volta apenas por insuficiência de fundos. Cheque também volta por insuficiência de informações. Evite retrabalho para os funcionários do banco, dor de cabeça para você e aborrecimento para a pessoa para quem você passou o cheque. Preencha seus cheques com canetas de cor AZUL ou PRETA e escreva as informações preferencialmente em LETRA DE FORMA.    

Mas se você quiser me passar algum cheque, pode até preenchê-lo com letra de médico e escrever com tinta rosa choque. Eu recebo assim mesmo!!! 


(A imagem acima foi copiada do link Google Images)

segunda-feira, 21 de maio de 2012

COM O QUE VOCÊ 'MEXE'?

Às vezes as gírias regionais podem nos causar embaraços...

Lá na minha terra, Aracoiaba/CE, quando alguém pergunta Com o que você 'mexe'?, está querendo saber onde você trabalha, qual área atua, essas coisas. Pois bem. Da última vez que visitei o Ceará encontrei com um grupo de amigos e conversávamos sobre nossas respectivas profissões: eu, bancário, outro colega, cabeleireiro, outro professor e um quarto ginecologista.

Uma amiga nossa chegou posteriormente e, como tinha perdido a primeira parte da conversa, perguntou a cada um de nós:

- Com o que você 'mexe'?

- Dou aulas, respondeu o colega professor.

- 'Mexo' com cabelo, disse o cabeleireiro.

- 'Mexo' com dinheiro (dos outros), respondi.

O colega ginecologista riu ironicamente e respondeu:

- 'Mexo' com bu..., mas teve a fala interrompida pelo amigo cabeleireiro.

Depois da 'gracinha' do ginecologista, todos deram uma boa gargalhada e continuamos a conversa - mas dessa vez sem perguntar com o que os outros 'mexiam'.


(A imagem acima foi copiada do link Cava Funda.)

terça-feira, 1 de maio de 2012

MORTE DE BEN TZION NETANYAHU

Ben Tzion Netanyahu, historiador, ativista sionista e pai do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, morreu nesta segunda-feira (30/04/12) aos 102 anos na sua casa em Jerusalém. Ben Tzion era professor emérito da Universidade de Cornell nos EUA e se especializou na "Idade de Ouro" que conta a história dos judeus na Espanha. Foi também secretário particular do legendário Zeev Jabotinsky, considerado o pai do Sionismo Revisionista. Ben Tzion foi o editor da Enciclopedia Hebraica, publicada de 1944 a 2005.

(Texto e foto enviados via e-mail por Arlan Elói.)

CONGRESSO CSP - CONLUTAS

Foi realizado nos dias 27, 28, 29 e 30 de abril passado o 1o Congresso CSP - CONLUTAS (A sigla CSP significa Central Sindical e Popular). O evento aconteceu na Estância Árvore da Vida, em Sumaré, cidade do interior do estado de São Paulo e despontou como uma alternativa de organização dos trabalhadores na luta pelos seus direitos.

O encontro contou com a participação 'delegados' e 'observadores' de entidades sindicais, organizações de classe, intelectuais e estudantes de todos os cantos do Brasil. Estiveram presentes também representantes de países da América do Sul, Europa, África, Américas do Norte e Central.

Confira algumas fotos desse encontro que deu o pontapé inicial para uma nova era no movimento sindical brasileiro - e quem sabe, munidal: