sábado, 19 de dezembro de 2009

MAIS UM POLICIAL MORTO…


Cabo da Cavalaria é morto quando estava de folga

Cabo da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, Francisco de Assis Gomes da Silva, 40 anos, estava lotado no Esquadrão da Polícia Montada (Cavalaria) e foi morto na tarde de ontem (18-12-09). Ele estava à paisana e foi alvejado por vários disparos enquanto andava de bicicleta no bairro do Golandim, em São Gonçalo do Amarante, município da Grande Natal.

Cabo Gomes foi surpreendido por três homens e, sem chance de reagir, foi covardemente executado. Depois de matarem o PM, os criminosos roubaram uma pistola 380 e um revólver calibre 38 que estavam com a vítima.

O fato revoltou policiais, tanto civis quanto militares, que se dirigiram imediatamente para o local do crime. Dezenas de curiosos também correram para lá, mas ninguém quis dar qualquer tipo de informação a respeito do acontecido.

É sempre assim: a população cobra segurança, mas não quer ajudar a polícia a combater a violência… Assim fica difícil!

Se a sociedade não ajudar às polícias no combate ao crime, quem ajudará?

Como cidadão, fico preocupado com a escalada da violência e o sentimento de impunidade que pairam sobre nossas cabeças. Onde vamos parar? Se o criminoso não teme mais um policial armado, e investe contra esse, o que fará com um cidadão indefeso? Como PM, fico apreensivo: a farda chama a atenção dos bandidos, mas se até à paisana estamos sendo perseguidos por vagabundos…

O cabo Gomes deixou uma filha órfã. Mais uma nas estatísticas da criminalidade. Alguém aí viu alguma ONG de defesa dos direitos humanos protestar por essa criança que passará o Natal sem a figura paterna? Não! Se fosse a polícia militar a responsável pela morte de algum traficante, com certeza a situação seria bem diferente. Já teria passeata, protesto e mobilização nas ruas natalenses em busca de 'justiça'.

O principal suspeito pela morte do cabo Gomes é uma pessoa de nome Felipe. Ele é baixo, magro, moreno, tem cavanhaque, usa o cabelo grizalho e tem 18 anos. Que Deus tenha misericórdia desse Felipe e dos outros suspeitos. Nós, policiais, não teremos!!!


(A foto que ilustra esse texto foi copiada do link Tribuna do Norte.)

2 comentários:

Erik Oliveira disse...

Embora o teu sentimento de revolta seja legítimo e até compreensivo, acho que tens exagerado um pouco no teu discurso. Não deixe, amigo, que a violência que alguns de nós, como cidadãos, temos presenciado torne a ti menos racional. Os bandidos são consequência, não causa.

Alvaniza disse...

Prezado amigo acredito que seu texto tenha sido escrito num momento de ira, sobretudo, de impotência pela perda de um ser humano e de um colega de profissão. Todavia, não permita que a violência internalize o seu EU e o torne uma pessoa amarga e vingativa. Este não é você.