domingo, 25 de abril de 2010

EDUCAR COM BOM SENSO


Quem ama o próprio filho, usa bastante o chicote, para no fim se alegrar.

Quem corrige o próprio filho, depois terá satisfação, e ficará orgulhoso dele na frente dos conhecidos. Quem educa o próprio filho faz inveja ao inimigo, e fica alegre diante dos amigos.

O pai morre, mas é como se não tivesse morrido, porque deixa depois de si alguém semelhante a ele. Durante a vida, o pai se alegra ao ver o filho, e não fica triste na hora da morte.

Para os inimigos, deixa um vingador; para os amigos, deixa alguém que irá recompensá-los.

Quem mima o próprio filho, depois terá que lhe curar as feridas, e, a cada grito dele, suas entranhas estremecerão.

O cavalo xucro se torna intratável, e o filho entregue a si mesmo se torna teimoso.

Dê muito mimo a seu filho, e ele trará surpresas desagradáveis para você; siga os caprichos dele, e ele deixará você triste.

Não ria com ele, e com ele você também não irá chorar, para que você não acabe rangendo os dentes.

Não lhe dê liberdade na juventude, nem feche os olhos para os defeitos dele.

Obrigue-o a curvar o pescoço enquanto é jovem, e bata nas costas dele enquanto é menino, para que não cresça teimoso, não lhe desobedeça e nem lhe cause muito sofrimento.

Corrija seu filho e faça-o responsável, para depois você não tropeçar na insolência dele.


Bíblia Sagrada - Edição Pastoral. Antigo Testamento, Livro do Eclesiástico, capítulo 30, versículos de 01 a 13


(A foto acima foi copiada do link Família Schwingel.)

2 comentários:

Élmano Ricarte disse...

Quando vi este texto tive a impressão que se tratava de algo bem francês... Eles quem têm essa mania de bater nas crianças.

Mas é o seguinte: acho que a educação é o melhor caminho que bater nas crianças para quem elas aprendam... =/

Micaele Linhares disse...

Educar não significa agredir, nem mesmo agir com violência, seja qual for à violência.
Temos que impor respeito de nossas crianças. Ai depois podemos escolher qual a melhor maneira de impormos o respeito, seja com palmadas educativas,com diálogo e castigo, só tenho a devida certeza que palmada não mata e também não torna nenhuma criança em um adulto violento.