sábado, 20 de setembro de 2014

MOTIVO


Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

Irmão das coisas fugídias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
- não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
- mais nada.

Cecília Meireles (1901-1964): poeta, jornalista, professora e pintora brasileira. Considerada uma das vozes líricas mais importantes da língua portuguesa. Apesar de viver sob a influência do Modernismo, apresentava também em sua poesia traços de outras escolas literárias como Simbolismo, Classicismo, Romantismo, Parnasianismo, Realismo, Surrealismo e Gongorismo. Por causa disso sua obra é considerada atemporal. Alguns de seus trabalhos: Ou Isto ou Aquilo, Romanceiro da Inconfidênica, Viagem, Vaga Música, Nunca Mais, Poemas de Israel, Flores e Canções, Escolha o Seu Sonho, Antologia Poética. Obras infantis: Sonhos da Menina, O Cavalinho Branco, Leilão de Jardim. Por ser católica fervorosa, escreveu também Pequeno Oratório de Santa Clara e O Romance de Santa Cecília.


(A imagem acima foi copiada do link Mensagens Com Amor.)

Um comentário:

Alvaniza disse...

Amo Cecília Meireles. Aos 7 anos li "Ou isto ou aquilo" e, desde então, fiquei fascinada por esta escritora. Sou fã de seus escritos que nos revelam o profundo feminino numa linguagem bastante peculiar, própria e genuína desta grande poetisa.

O amor...
É difícil para os indecisos.
É assustador para os medrosos. Avassalador para os apaixonados.
Mas os vencedores no amor são os fortes.
Os que sabem o que querem e querem o que tem!
Sonhar um sonho a dois, e nunca desistir da busca de ser feliz, é para poucos.

Cecília Meireles